21/02/2017

CONVOCAÇĀO GERAL






Meus amigos, não se trata absolutamente de incentivo ao consumo do álcool, muito pelo contrário, o incentivo é a celebração da amizade através da música e é claro, tomando umas e outras, porque ninguém é de ferro para encarar os tempos bicudos que estamos vivendo. A maré tá braba, o bicho pegou, tá ruim, deu ruim, a casa caiu, embolou o meio de campo, virou zona, nāo tá mole, etc, etc, etc. 


Essas têm sido as expressões mais usadas ultimamente no nosso seguimento da música a partir de uns anos pra cá e piorou depois que o Brasil ficou de cabeça pra baixo e do lado do avesso. 

Por conta disso, e levando em conta a máxima do nosso trabalho – o show não pode parar – é que resolvemos criar a “CONFRARIA MINHA CACHAÇA MINHA VIDA” que tem como ponto de encontro o Restaurante Sobrenatural em Santa Tereza. 

Nossa confraria é dedicada a garantia do riso permanente, do prazer do convívio, do culto a amizade, da paz, do amor, do afeto, tudo isso curtindo um som informal, uma boa comidinha e uma bebidinha. 

Apesar dos pesares, “viver a vida” também é um projeto que não pode parar, e a música, o samba e a culinária nos ensinam isso a séculos. 
Nosso primeiro evento aconteceu no dia 12 de janeiro com o lançamento do CD do Paulinho da Aba e foi um sucesso. A cada mês faremos um encontro e o próximo evento será no dia 23 de fevereiro quando estaremos comemorando o aniversário da nossa confrade Sérvula Amado, dona do estabelecimento. Neste dia também será entoado o nosso primeiro grito de carnaval. 

Além dos confrades que animarão o samba, teremos também mais uma apresentação da nossa atração internacional fixa, o cantor Merlot Menezés, e seu vasto repertório de música brasileira cantada em vários idiomas. 
Nas horas vagas ele também é um excelente artista gráfico que assina como Mello Menezes, e nos presenteou com a logomarca da confraria. 

É isso. Cada um tem sua cachaça na vida, a nossa é a música brasileira e o culto das amizades. Claro que uma cervas também fazem parte do cerimonial. 

Para garantir a energia dona Sérvula apresentará o prato principal da confraria que é o ‘muzunguê”, caldo de peixe à moda angolana que levanta a maior moral depois de uns drinks. Aguardamos por você lá. 

Fundadores por ordem de chegada. 

Ari Bispo e Cláudio Jorge, Sérvula Amado, Márcio Vanderlei, Carlinhos 7 Cordas, Eduardo Neves, Marcelinho Moreira, Alessandro Cardozo e Paulinho da Aba, Mello Menezes. 

Um comentário:

CLARISSE GROVA disse...

Maravilha!!! Fala sério, que galera querida! Assim fica fácil de subir Santa Teresa, muito fácil. Até breve, queridos.