21/12/2011

Ficou ruim até pro Papai Noel






Minha mensagem de natal deste ano de 2011 vem através de uma histórinha contada pelo meu amigo Carlinhos 7 Cordas, um dos maiores violonistas do Brasil.
Me orgulho de muitas coisas da minha carreira de músico, mas por uma tenho um carinho particular. Eu e meu parceiro Nei Lopes fomos os responsáveis pelo Carlinhos 7 Cordas se tornar um músico profissional. É um daqueles péssimos conselhos que se dá, mas que no final dá tudo certo. Carlinhos estava na Marinha numa promissora carreira de fuzileiro naval e volta e meia ele chegava do quartel quando nós estávamos ali na Rua Jorge Rudge em Vila Isabel no pagode “Corre pra sombra”. Era uma roda inventada pelo Nei que começava pela manhã com as mesas colocadas na beira da calçada. O sol vinha vindo e a mesa ia fugindo pra sombra até terminar no fim da tarde embaixo da marquise do botequim do português.
Belos momentos vivemos ali onde o Nei apresentou vários de seus sucessos de carreira em primeira mão. Me lembro do Paulinho Albuquerque levando o Gilson Peranzzetta e um outro músico americano para conhecer a parada.
Pois bem, o Carlinhos 7 cordas chegava em casa, tirava a farda, pegava o violão e ia pra roda. Ficávamos ali mandando todas e o Carlinhos já desde cedo tocando bem pacas quando falamos pra ele largar aquela idéia de ser militar e abraçar a profissão de músico. Foi ótimo, tornou-se o artista que conhecemos e agora mais recentemente tem brilhado também na produção de discos.
Carlinhos me contou há pouco tempo uma história sobre o seu sobrinho,  moleque levado nos seus seis anos de idade que tava dando o maior trabalho em casa e na escola. A irmã do Carlinhos pediu uma ajuda ao irmão, um cara sério, que impõe moral, pra dar uns conselhos pro garoto e um puxão de orelhas, se fosse o caso.
Carlinhos atendeu prontamente a convocação, chamou o sobrinho prum papo e começou:
-    - Ô meu sobrinho. Que que tá havendo? Tua mãe veio falar comigo que você tá aprontando muito na escola, não está obedecendo ela, a professora também tá reclamando. Isso não pode ser assim não. Criança tem que se comportar direitinho, escutar os mais velhos, respeitar os coleguinhas, estudar bastante pra ter um futuro legal. E tem outra coisa, tá chegando o Natal. Papai Noel não vai trazer presente se você continuar a se comportar desse jeito.
O menino interrompeu o tio e mandou com maior bico:
-    - Tio, que saber de uma coisa. Eu quero mais é que Papai Noel se fôda!
Bom, depois dessa só me resta dedicar a todos um Feliz Natal, com ou sem Papai Noel.  Vou deixar como trilha sonora dessa história essa obra prima que é a canção “É Natal”, de Dona Ivone Lara e Délcio Carvalho, faixa do disco “Natal de Samba”, produzido por Paulinho Albuquerque para a gravadora velas em 1999.


Nenhum comentário: