23/10/2008

Infelizmente, o choro tem que continuar.

Estava estes dias me preparando para retomar meu blog. Ia aproveitar o assunto do centenário de nascimento do Cartola para fazer isso. Já estava com o texto pronto, só esperando os eventos comemorativos passarem para eu poder chegar com minha crônica, gota de lágrima no oceano das mídias.
No background, há um mês e tanto eu vinha vivendo a angústia de ver meu amigo internado no Andaraí negociando com Deus sobre o seu futuro. Então iria aproveitar o assunto do Cartola para mostrar a letra de um samba nosso ainda inédito, em forma de acróstico, que fala de Mestre Cartola.
Foi aí que o telefone tocou pela manhã da segunda feira, 20 de outubro, dia do poeta, e confirmou aquilo que eu já esperava para qualquer momento. Meu parceiro Luiz Carlos da Vila faleceu. Na realidade, como dizem os mais antigos, descansou. Descansou mesmo. Nos vários ítens da negociação com Deus, este de ficar aqui pela terra por mais um tempo, o Da Vila perdeu, e nós ganhamos essa saudade que nunca mais vai sair do coração daqueles que conviveram com ele.
Minha mulher costumava dizer para o Luiz que ele era um Erê. Aquele Orixá criança que fica fazendo arte quando baixa nos terreiros.
É isso mesmo. Luiz Carlos às vezes criança fazia todo mundo rir de suas brincadeiras. Luiz Carlos às vezes brigão encarava desafetos sem desferir um golpe físico sequer, mas descarregava um batalhão de palavras que deixava malandro no sufoco. Luiz Carlos às vezes triste. Esse eu nunca vi. Já o vi sério, concentrado, pensativo e na maioria das vezes, desligado. Triste, nunca.
Luiz Carlos sempre artista, poeta, compositor, pensador, boêmio, um intelectual no melhor significado que essa palavra tem.
Eu tenho tanta coisa pra dizer pra você meu amigo nesse momento que não vai dar pra colocar aqui. Farei isso pelo resto da minha vida, aos poucos, conforme eu for refletindo sobre tudo, chorando aos pouquinhos.
A última apresentação de Luiz Carlos da Vila foi o seu enterro lá em Inhaúma. Falo apresentação porque tudo que rolava na vida e nos shows do Luiz rolou lá na despedida dele, que começou no velório na quadra da Vila Isabel.

Seus sambas foram cantados, os aplausos foram muitos, a emoção transbordou e as cervejas se esgotaram.
O carro com seu corpo saiu da capela Santa Isabel e foi em direção ao jazigo da família. Aos poucos as pessoas começaram a apontar pro céu e todos puderam ver a imagem deslumbrantemente bela de um enorme arco-íris de trezentos e sessenta graus formado em torno do Sol. O céu azul como há muitos dias não estava e aquela coroa de fogo e cores acima do cortejo. Meu Deus, foi tão lindo!
Foi a confirmação da intimidade do Luiz com o universo, com as energias positivas, com as forças mais superiores e poderosas que estão além da nossa razão e com as quais ele flertou a vida toda que esteve aqui.
O que parecia ser uma coroa, uma áurea, me bateu mais como um milagre, um alô de conforto do Luiz para todos nós que estávamos ali, amigos, parentes e fãs chorando por causa dele. Para mim e outros da minha falange, talvez a revelação do encontro de Luiz Carlos da Vila com Oxumaré.
Não foi um ser humano comum que partiu meus camaradas. Fez passagem um ser de muita luz e o cerimonial do céu fez questão de deixar isso muito claro para todos os que estavam ali naquele momento. A recepção lá em cima foi de altíssimo nível e assim sempre será toda vez que Luiz Carlos da Vila tiver que se deslocar de um plano astral para outro.
Luiz, como você dizia ao se despedir, "Feliz Natal". No dia 20 de outubro de 2008 você nasceu de novo. Beijos.

8 comentários:

Eugenia disse...

Que texto bonito, amigo!
Tenho certeza que ele - mago das palavras - aprovou.

agrião disse...

Valeu Meu Compadre,Cajó!
Com certeza Que o Erê da Vila,Gostou do seu texto.

Anderson Alves disse...

esse texto é digno e a altura de Luiz Calos da Vila.....parabéns Claudio Jorge!!!

gostaria de saber se vc não possui mais página no my space?

abçs.

Noêmia Moliv disse...

Como já escreveu outro poeta:

Silêncio o poeta está dormindo.
Ele foi mais foi sorrindo, a notícia chegou quando o dia amanheceu.
Escola eu peço silêncio de um minuto.
Hoje o samba está de luto, a voz de um grande sambista emudeceu,
Partiu... não tem placa de bronze nem fica na história.Sambista do povo morre sem glórias é é mais um que foi sem dizer adeus...Silêncio."

Patrícia disse...

Bonito demais Cláudio... Bonito demais...
Beijão

josé ricardo disse...

Prazer em reencontrá-lo e ouvir novos sambas e dedilhados. Realmente o Obama é uma inspiração e uma esperança. Tenho um blog em que também comento o Diferencial Obama no atabaqueblog.
abs

antonio jesus silva disse...

REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA !

Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada à elite mundial é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criaram-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo estes afro-ameríndios descendentes vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosa quantos as do 1º Mundo. É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc.
Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direito e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construí dor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar a história dos nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Osvaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam. Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma,Rafael Correa, Fernando Lugo não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução Quilombolivariana e bradaram Viva a,Viva Simon Bolívar Viva Zumbi, Viva Che, Viva Martin Luther King, Viva Osvaldão, Viva Mandela, Viva Chávez, Viva Evo Ayma, Viva a União dos Povos Latinos afro-ameríndios, Viva 1º de maio, Viva os Trabalhadores e Trabalhadoras dos Brasil e de todos os povos irmanados.
O.N.N.QUILOMBO –FUNDAÇÃO 20/11/1970
quilombonnq@bol.com.br

Unknown disse...

Que falta ainda faz malandro. Bem que vc poderia clariar alguma mente, e falar daquilo que vc tinha a enorme sutileza em resaltar, O AMOR. Estamos carente de seus poemas.